Ainda hoje me lembro daquele dia. Tinha cerca de 10 anos e estava entusiasmada porque, naquela manhã, íamos fazer uma grande caminhada pelas cristas das montanhas altas. Uma parte de um caminho de muitos dias que os meus pais tinham feito quando eram novos. Era um misto de receios e exaltação por fazer algo pela primeira vez, depois de ter ouvido tantas histórias.    

Pelo caminho, o pai virou-se para mim e deu-me uma bússola.
“Hoje és tu que nos vais guiar.”
“Mas, pai, eu não sei o caminho.” respondi algo confusa.
O pai estava a sorrir. “Sabes onde está o Norte?”

Naquele dia, ao subir a montanha, aprendi como encontrar o Norte, a minha direção e o meu caminho. E aprendi que, sabendo para onde vou, nunca estarei perdida.

Todos temos uma bússola – aquela voz interior, aquele instinto, aquela intuição que nos diz “Vai nesta direção. Vai por aqui.

Por vezes, esqueço-me de ler a minha bússola ou ela está desfocada, debaixo da agitação e confusão, do tumulto das emoções e pensamentos que ocupam a minha mente. E quando deixo de ver e confiar na minha direção, perco o contacto com o meu Norte, com o meu sistema de orientação interior. Ando à deriva sem saber qual é o melhor caminho que devo seguir e porque devo escolher aquele caminho e não outro. E reajo de forma automática e ineficaz, provocando situações que, de facto, estava a tentar evitar.

Quando estou consciente do meu Norte como Mãe e quando o tenho presente comigo, consigo ter algo fundamental para o sucesso do que faço – consigo ter Clareza. Clareza sobre porquê estou a fazer o que estou a fazer. Clareza sobre o que devo pensar e que escolhas devo fazer. Clareza sobre as minhas ações e comportamentos.

Ter clareza não é algo que consigo fisicamente tocar ou ver. É uma certeza e uma confiança interior sobre quem sou e como vivo. É uma daquelas coisas que quando a quero, tenho que me comprometer comigo mesma em encontra-la, pois não costuma aparecer “batendo as palmas”. Normalmente requer introspeção e reflexão intencional, requer procura, foco e concentração dentro sobre o que está dentro de mim.

Quando tenho clareza sobre a minha direção:

  • Tenho entusiasmo e confiança no que sinto e faço,
  • Tenho determinação para ultrapassar os obstáculos que aparecem,
  • Vejo a minha vida pela prisma dos meus valores base que me ajudam a tomar decisões e fazer escolhas muito mais eficazes,
  • Tenho uma paz e energia interior que transparece facilmente,
  • Sinto-me intrinsecamente conectada com a minha família e com a minha vida.

Quando estou clara sobre o meu Norte como Mãe, ajo com determinação e flexibilidade, com confiança e conexão. Consigo sentir-me mais leve, deixando o peso das preocupações e dos medos para trás. Consigo sorrir mais e fazer os outros sorrirem também. Consigo manter a calma quando os meus filhos não a tem. Consigo abraça-los e ouvi-los com mais paciência. Consigo concentrar-me no que é realmente importante para mim e para a minha família.

PS. Se quiseres definir o teu Norte e a tua direção como Mãe ou Pai, saberes como encontrar o melhor caminho e saberes como voltares a ele sempre que te desvias, participa no curso “A bússola, as estrelas e o leme da minha parentalidade” – onde juntei tudo que considero importante nesta área e de onde sairás com o que precisas para explorar com sucesso o mundo da parentalidade.

Imagem de Lisa L Wiedmeier


Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.